Amores da minha vida

Amores da minha vida
Eu (Clara Valentina) e papai

24 de mar de 2010

Ah é uma menina!!!! Papai e mamãe estão ansiosos...




Receita de como a Clarinha foi feita!!!!

Para se fazer uma menina, toma-se uma xícara de felicidade, dois botões azuis, pétalas de rosa, um pouco de glacê, um punhadinho de areia, três conchinhas róseas, uma colherada de imaginação. Acrescenta-se também um pouquinho de sal e muito açúcar e mel, uma casquinha de sorvete, o dengo de um gatinho novo e três gotinhas de perfume.

Não esquecer de um espelhinho prateado, pois uma menina é, antes de tudo, mulher, e logicamente vaidosa.

É importante acrescentar uma borboleta amarela, muita inocência e um dedinho com band-aid.

Recolha com cuidado uma gotinha de orvalho, o brilho de uma jóia, todos os matizes de um quadro de Renoir, uma pitada de sonho e muito carinho.

Consiga um pouquinho daquela brisa que sopra do mar, uma colherinha da luz das estrelas, um sorriso inesperado, o ruído de uma onda na praia e deixe tudo isso ao luar.

Misture tudo e acrescente muita ternura e amor, um pouco de teimosia e muita curiosidade, uma lágrima e duas asinhas de beija-flor.

É assim que são feitas as meninas.

São as coisinhas mais lindas que existem na terra, são muito frágeis e ao mesmo tempo fortes e resistentes.

Com apenas uma lágrima comovem o mais duro dos corações, pois ninguém resiste a um pedido acompanhado de um beijo molhado.

Uma menina parece que nasce sabendo que terá a responsabilidade de alegrar, suavizar e colorir a vida.

Clarinha foi feita para enfeitar a vida da mamãe Gabi e do Papai José!!!!

27 de fev de 2010

Gabi e clarinha choraram, por que estão se sentindo sozinhas. Falta amor na nossa vida! Vida bandida



Ontem eu chorei

Ontem eu chorei por tudo que eu queria ser e não sou...

Ontem eu chorei porque eu desconbri que as pessoas se esquecem muito rapido uma das outras...

Ontem eu chorei porque eu descobri que as pessoas não sentem a minha falta tanto quanto eu sinto delas...

Ontem eu chorei porque eu descobri que nem tudo na vida são flores...

Descobri que muitas vezes temos que sofrer para aprender a dar o devido valor a vida...

Ontem eu chorei porque descobri que muitas vezes o ploblema da gente é causado por nos mesmos...

Ontem eu chorei porque eu vi que não vale a pena colocar outras pessoas sem pre em primeiro lugar na nossa vida porque elas nunca dão valor a isso...

Ontem eu chorei porque eu estou cansada de não chorar...

Ontem eu chorei por todos os dias em que eu não chorei por medo de deixar alguem preocupado comigo...

Ontem eu chorei por tudo o que eu deixei de falar por medo de magoar alguém...

Ontem eu chorei por que eu tenho uma mae que me ama muito e nunca vai me abandonar...

Chorei por que eu lembrei das palavras de minha mãe: Sou tua mãe, sou teu pai e sou tua amiga.

Ontem eu chorei um choro calado, um choro escondido, mas um choro que me deixou tranquila...

A partir de hoje eu não vou mais chorar por que eu tenho um ser dentro de mim de me dá força para superar todos os obstáculos e que um dia irá retribuir um amor imenso por mim.

Ontem foi o último dia que eu chorei, por que minhas lágrimas secaram e eu não fiz nada para mudar essa situação.

Chorei e não choro mais, por que a dor do passado ...

(... )essa dor ficou no passado, JESM.

18 de fev de 2010

Regalo de Dios!






Ulisses Francisco ou Clara Janaina?

Deus quem sabe...


Feliz por todas as bençãos recebidas!!!!

15 de fev de 2010

Desabafo... Feliz com a Gravidez

SER MÃE



A missão de ser mãe quase sempre começa com alguns meses de muito enjôo, seguido por anseios incontroláveis por comidas estranhas, aumento de peso, dores na coluna, o aprimoramento da arte de arrumar travesseiros preenchendo espaços entre o volume da barriga e o resto da cama.

Ser mãe é não esquecer a emoção do primeiro movimento do bebezinho dentro da barriga.

O instante maravilhoso em que ele se materializou ante os seus olhos, a boquinha sugando o leite, com vontade, e o primeiro sorriso de reconhecimento.

Ser mãe é ficar noites sem dormir, é sofrer com as cólicas do bebê e se angustiar com os choros inexplicáveis: será dor de ouvido, fralda molhada, fome, desejo de colo?

É a inquietação com os resfriados, pânico com a ameaça de pneumonia, coração partido com a tristeza causada pela morte do bichinho de estimação do pequerrucho.

Ser mãe é ajudar o filho a largar a chupeta e a mamadeira. É levá-lo para a escola e segurar suas mãos na hora da vacina.

Ser mãe é se deslumbrar em ver o filho se revelando em suas características únicas, é observar suas descobertas.

Sentir sua mãozinha procurando a proteção da sua, o corpinho se aconchegando debaixo dos cobertores.

É assistir aos avanços, sorrir com as vitórias e ampará-lo nas pequenas derrotas. É ouvir as confidências.

Ser mãe é ler sobre uma tragédia no jornal e se perguntar: E se tivesse sido meu filho?

E ante fotos de crianças famintas, se perguntar se pode haver dor maior do que ver um filho morrer de fome.

Ser mãe é descobrir que se pode amar ainda mais um homem ao vê-lo passar talco, cuidadosamente, no bebê ou ao observá-lo sentado no chão, brincando com o filho.

É se apaixonar de novo pelo marido, mas por razões que antes de ser mãe consideraria muito pouco românticas.

É sentir-se invadir de felicidade ante o milagre que é uma criança dando seus primeiros passos, conseguindo expressar toscamente em palavras seus sentimentos, juntando as letras numa frase.

Ser mãe é se inundar de alegria ao ouvir uma gargalhadinha gostosa, ao ver o filho acertando a bola no gol ou mergulhando corajosamente do trampolim mais alto.

Ser mãe é descobrir que, por mais sofisticada que se possa ser, por mais elegante, um grito aflito de mamãe a faz derrubar o suflê ou o cristal mais fino, sem a menor hesitação.

Ser mãe é descobrir que sua vida tem menos valor depois que chega o bebê.

Que se deseja sacrificar a vida para poupar a do filho, mas ao mesmo tempo deseja viver mais – não para realizar os seus sonhos, mas para ver a criança realizar os dela.

É ouvir o filho falar da primeira namorada, da primeira decepção e quase morrer de apreensão na primeira vez que ele se aventurar ao volante de um carro.

É ficar acordada de noite, imaginando mil coisas, até ouvir o barulho da chave na fechadura da porta e os passos do jovem, ecoando portas adentro do lar.

Finalmente, é se inundar de gratidão por tudo que se recebe e se aprende com o filho, pelo crescimento que ele proporciona, pela alegria profunda que ele dá.

Ser mãe é aguardar o momento de ser avó, para renovar as etapas da emoção, numa dimensão diferente de doçura e entendimento.
A maternidade é uma dádiva. Ajudar um pequenino a desenvolver-se e a descobrir-se, tornando-se um adulto digno, é responsabilidade que Deus confere ao coração da mulher que se transforma em mãe.

E toda mulher que se permite ser mãe, da sua ou da carne alheia, descobre que o filho que depende do seu amor e da segurança que ela transmite, é o melhor presente que Deus lhe deu.

Agradeço a Deus todos os dias pela oportunidade em poder ser mãe e poder sentir todos os dias o coraçãozinho do meu anjinho batendo.
Gente estou feliz de mais....

20 de jan de 2010

Prosa do mar


O mar serenou

(1975)

Samba

Música e letra: Candeia

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia


O pescador não tem medo
É segredo se volta ou se fica no fundo do mar
Ao ver a morena bonita sambando
Se explica que não vai pescar
Deixa o mar serenar

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia


A lua brilhava vaidosa
De si orgulhosa e prosa com que deus lhe deu
Ao ver a morena sambando foi se acabrunhando então adormeceu o sol apareceu

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia


O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia


Um frio danado que vinha
Do lado gelado que o povo até se intimidou
Morena aceitou o desafio Sambou e o frio sentiu seu calor e o samba se esquentou

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia


A estrela que estava escondida
Sentiu-se atraída depois então
apareceu
Mas ficou tão enternecida Indagou a si mesma a estrela afinal será ela ou sou eu

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia


O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia

Música: O Mar Serenou
Autoria: Música e letra: Candeia
Interpretação: Clara Nunes